Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr Spotify
29/02/2024

PI: Evento na Defensoria Pública usa audiodescrição para promover acessibilidade e inclusão para pessoas com deficiência visual

Fonte: ASCOM/DPEPI
Estado: PI
A Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE/PI), através da Ouvidoria Geral Externa, realizou na manhã desta terça-feira (27), a 4ª edição do evento ‘Cidadania com Café’, com o tema: “Acessibilidade e Inclusão da Pessoa com Deficiência Visual”. A iniciativa, realizada de forma híbrida, teve início a partir das 9h, no auditório Esperança Garcia, no edifício-sede da Defensoria Pública, em Teresina, e contou com o recurso de audiodescrição  (AD), mecanismo voltado para que pessoas com deficiência visual e com baixa visão possam ter acesso ao conteúdo. A tecnologia também amplia o entendimento de pessoas com deficiência intelectual, com TDAH, autistas, disléxicos, idosos e outras pessoas sem deficiência.
 
A ação teve como palestrantes Ricardo Tadeu Marques da Fonseca, primeiro membro cego do Ministério Público e da Magistratura no Brasil, e desembargador do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) do Paraná; e Iraildon Mota, presidente da Escola Técnica de Comunicação Comradio do Brasil e coordenador do Projeto Mulheres Visão. 
 
WhatsApp Image 2024-02-27 at 14.33.51 (6)A abertura do evento contou com a participação da Defensora Pública Geral do Estado do Piauí, Carla Yáscar Bento Feitosa Belchior, que destacou a importância da iniciativa realizada. “Promover um evento para discutir mecanismos com o objetivo de assegurar e promover a acessibilidade e inclusão para as pessoas com deficiência visual é algo muito importante. Parabenizamos a Ouvidoria Geral por promover essa iniciativa e trazer esse importante debate para dentro da Defensoria Pública do Estado do Piauí, ao buscar assegurar os direitos desse público”, disse. 
 
Na sequência, o desembargador do TRT do Paraná, Ricardo Tadeu Marques da Fonseca, que é o único desembargador cego em todo o Judiciário brasileiro, falou sobre sua atuação no sistema de justiça, além de temas relacionados à pessoa com deficiência. O desembargador também é professor de Direito e Processo do Trabalho, especialista e mestre em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Universidade de São Paulo e doutor em Direito das Relações Sociais pela Universidade Federal do Paraná.
 
O segundo palestrante do dia, o jornalista Iraildon Mota, que também é fundador e da Escola Técnica de Comunicação Comradio do Brasil e criador e coordenador de Projetos Sociais como o Mulheres de Visão, falou sobre a iniciativa realizada. “Primeiro de tudo é fundamental que a Ouvidoria comece a abrir as portas para essa temática que é a acessibilidade,  em especial a acessibilidade para as pessoas com deficiência visual. Quando a Defensoria faz isso ela tá se colocando à disposição para que a gente possa provocar na sociedade um processo de mudança de comportamento. Somente no Piauí temos 137 mil pessoas com deficiência visual que precisam de assistência em todos os níveis e lugares que você pode imaginar, do  ponto de vista da acessibilidade. Parabenizamos a Defensoria Pública, a doutora  Carla Yáscar, o Djan Moreira, que possuem essa sensibilidade de  fazer com que temáticas como essa, que muitas vezes são distantes da maioria da população, estejam presentes em debates francos e honestos de maneira muito transparente, para  que a gente possa pensar e discutir soluções como a que a gente trouxe aqui, que é o Sonori, que é uma tecnologia que está nas últimas fases de testes para a implementação, de tornar os eventos acessíveis, a partir da audiodescrição, e isso é muito importante”, destacou. 
 
Sobre o evento, o Ouvidor-Geral externo da Defensoria Pública do Piauí, Djan Moreira, organizador do evento, reforçou a satisfação em realizar mais uma edição do Cidadania Com Café e destacou a importância da participação popular na ação. “Nesta 4ª edição do ‘Cidadania com Café’ abordamos um tema imensamente importante, que é a questão da inclusão e acessibilidade para pessoas com deficiência visual, a partir da percepção de duas pessoas com larga experiência nessa área, Ricardo Tadeu Marques da Fonseca, que é desembargador do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná, e Iraildon Mota, idealizador do projeto Mulheres de Visão. O evento foi um sucesso, e aproveitamos a oportunidade para reforçar a importância em se debater temas como a acessibilidade e a inclusão no âmbito da Defensoria Pública, possibilitando o debates sobre essa temática tão importante e que merece ser debatida em todas as instancias”, concluiu.
 
Também participaram do evento, as Defensoras Públicas do Núcleo Especializado de Defesa e Atenção ao Idoso e da Pessoa com Deficiência da Defensoria Pública do Estado do Piauí,  Sara Maria Araújo Melo e Sarah Vieira Miranda; a Defensora Pública Andrea Melo de Carvalho; além de representantes do Conselho Nacional de Ouvidorias das Defensorias Públicas (CNODP); Secretaria de Estado para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid); Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi); Projeto Mulheres de Visão; Ministério Público do Estado do Piauí (MP/PI); e a população em geral. 
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
8 de maio (São Paulo, 14h)
AGE
9 de maio (São Paulo, 14h)
Lançamento da Campanha Nacional
4 de junho (Brasília)
AGE
11 de novembro (Maranhão)
AGE
11 de novembro (Maranhão)
Reuniões das Comissões Temáticas
12 a 15 de novembro (Maranhão)
XVI CONADEP
 
 
 
 
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)