Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr Spotify
22/06/2022

MS: Em 4 meses, Defensoria registra 100 pedidos para intermediar conflitos familiares relacionados aos cuidados com a pessoa idosa

Fonte: ASCOM/DPEMT
Estado: MT
Com o crescente envelhecimento da população, as demandas relacionadas aos cuidados com a pessoa idosa seguem o mesmo ritmo na Defensoria Pública de MS. De fevereiro a maio de 2022, o Núcleo de Família e Sucessões (Nufam) recebeu 100 solicitações para intervir em discordâncias na divisão do compromisso entre filhas e filhos.
 
O coordenador do Nufam, defensor público Daniel Provenzano, pontua que o dado impressiona porque se aproxima de requisições de alto volume, como exames de DNA.
 
“Esse levantamento revela uma grave violação dos direitos ao afeto, à convivência e ao dever de solidariedade familiar, já que o atendimento à pessoa idosa é feito por nós quando há conflito familiar. Um exemplo é quando o idoso está em situação de vulnerabilidade e identificamos vários filhos, mas apenas um presta suporte. A gente chama e conversa, mas caso não haja consenso entre eles, aí judicializamos”, explica o coordenador do Nufam.
 
Cuidados da Pessoa Idosa - Atenta a esse número expressivo, a Defensoria Pública de MS criou um projeto, por meio da assistência social do Nufam, que atua resolução de conflitos na área e está em fase piloto. É o “Cuidados da Pessoa Idosa”.
 
A iniciativa funciona no formato de oficinas para a promoção da educação em direitos e o fortalecimento do vínculo familiar. Os encontros reúnem somente familiares da pessoa idosa em situação de vulnerabilidade e com direitos violados.
 
“Observamos que essa demanda disparou. Nosso objetivo é reunir os familiares e conversarmos para organizar os cuidados necessários sem precisar judicializar. Parte das famílias aceitam nossa sugestão e divisão de dias da semana, mas em muitos casos não há conversa. Eles vêm em busca de uma solução imediata, mas nós explicamos que existe um papel da família e outro da Defensoria”, pontua a assistente social Neiza Eliza Fontoura.
 
O objetivo principal da Defensoria Pública de MS é traduzir leis que não chegam ao conhecimento do público vulnerável e, assim, solucionar litígios.
Nos encontros, realizados por um defensor público do Nufam com o apoio do setor psicossocial e da conciliação, são feitas rodas de conversas, divulgação de vídeo educativo, orientação sobre direitos e aplicação de técnicas para o fortalecimento do vínculo e convívio familiar.
 
Sobrecarregada - Uma das 100 pessoas que buscou a Defensoria e participou da oficina tem 56 anos, é diagnosticada com a doença de Crohn, sofre de lesão na coluna há 12 anos e faz tratamento para os rins. Ela vive o dilema de ter de cuidar da mãe, sozinha, sem apoio dos irmãos.
 
“Somos em sete filhos e eu estou cansada de brigas. O caçula era o que mais ajudava, mas faleceu; outra irmã, que cuidou por 20 anos, teve aneurisma. E hoje, minha mãe com 92 anos, está comigo, só que os outros filhos, irmãos homens, nunca cuidaram. São agressores, não conversam, querem que eu entre na Justiça, por isso busquei a Defensoria”, explica a professora aposentada.
 
Conforme o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Mato Grosso do Sul tem mais de 390 mil idosos e idosas.
 
“É preciso darmos visibilidade ao respeito que essas pessoas merecem, pois, envelhecer com dignidade é um direito de todos”, reflete o coordenador do Nufam, defensor Daniel Provenzano.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
06 de julho
AGE
03 de agosto
AGE
31 de agosto
Reunião de Diretoria
01 de setembro
AGE
05 de outubro
AGE
08 de novembro, Goiás (CONADEP)
AGE
08 A 11 de novembro, em Goiânia (GO)
XV Congresso Nacional das Defensoras e Defensores Públicos
14 de dezembro
AGO de eleição
13 de dezembro
Reunião de Diretoria
 
 
 
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)