Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr
02/12/2019

Crise aumenta procura por auxílio jurídico gratuito, avalia Defensoria Pública

Fonte: Gauchazh
Estado: SC
Destinada fundamentalmente às camadas de baixa renda, a Defensoria Pública do Estado aumentou em 27% o número de atendimentos à população, entre 2018 e 2019, chegando a 1,3 milhão de auxílios jurídicos gratuitos no período de um ano. O aumento expressivo foi divulgado nesta sexta-feira (29) e, conforme o defensor público-geral do Estado, Cristiano Heerdt, se deve primordialmente à persistência da crise econômica e aos números de desemprego e de trabalho informal, que elevaram a quantidade de pessoas que podem recorrer à Defensoria.
 
"De 2016 para cá, sempre teve aumento de atendimento. É reflexo da crise, do desemprego. A gente percebe isso conversando com os colegas defensores que estão na ponta, atendendo a população", disse Heerdt, acrescentando que o incremento de 21 defensores no período colabora com o resultado.
 
O tempo médio atual, entre o agendamento e o primeiro atendimento, é de 20 dias, conforme relatório publicado nesta sexta-feira (29) pela Defensoria.
 
Para evitar a judicialização desnecessária, otimizando tempo e dinheiro, a Defensoria vem incentivando as soluções extrajudiciais. Com isso, o órgão conseguiu reduzir, no último ano, em 15 mil o número de novas ações, na comparação com o período anterior. A criação de câmaras de mediação é a principal estratégia utilizada, buscando acordo entre as partes, sem necessidade de disputa judicial.
 
Congelamento de orçamento preocupa órgão
 
A Defensoria tem equipes de atendimento em tempo integral, hoje, em 125 comarcas do Estado. Em outras 31, o atendimento é precário, ou seja, um defensor vai à região uma vez por semana, para não deixar a população totalmente desassistida. Em outras nove comarcas, não há atendimento, devido à falta de pessoal e sede. Por força de uma emenda à Constituição, o Estado tem até 2022 para oferecer atendimento integral em todas as comarcas.
 
O congelamento total do orçamento de 2020 para todos os poderes e órgãos, aprovado pela Assembleia Legislativa na última terça-feira (29) a pedido do governador Eduardo Leite, poderá se refletir no atendimento da Defensoria à população. A projeção é do defensor público-geral, afirmando que a contenção de gastos já chegou ao limite.
 
"Ano que vem, como se votou o congelamento, não haverá sobras. Pode, sim, comprometer os serviços à população. Isso eu posso afirmar. Vai ficar muito justa essa conta e não sei se terei recursos para os contratos de lotação, de estagiários", disse Heerdt, nesta sexta-feira (29).
 
Conforme a Secretaria Estadual de Planejamento, o congelamento total do orçamento evitará o repasse de R$ 232 milhões para os demais poderes e órgãos, em 2020. Desse total, a Defensoria será impactada em cerca de R$ 15,5 milhões.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
17 de janeiro de 2020
Encerramento da chamada de artigos: Defensoria Pública - reflexões sobre os direitos das mulheres
5 de fevereiro de 2020
AGE
3 de março de 2020
Reunião de Diretoria da ANADEP
4 de março de 2020
AGE e AGO
1 de abril de 2020
AGE
3 de junho de 2020
AGE
02 de junho de 2020
Reunião de Diretoria da ANADEP
1 de julho de 2020
AGE
5 de agosto de 2020
AGE
2 de setembro de 2020
AGE
01 de setembro de 2020
Reunião de Diretoria da ANADEP
7 de outubro de 2020
AGE
4 de novembro de 2020
AGE
09 de dezembro de 2020
Reunião de Diretoria da ANADEP
XIV CONADEP
ANADEP INOVA
Escola Nacional das Defensoras e Defensores Públicos do Brasil
Novas 100 regras de Brasília
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)