Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr Spotify
18/07/2017

Resolução da OEA destaca papel dos defensores públicos na promoção e defesa dos direitos humanos

Fonte: ANADEP * Com informações da ASCOM AIDEF
Estado: DF
Durante o 47º Período Ordinário de Sessões da Assembleia Geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), que ocorreu em Cancún (México), de 19 a 21 de junho, foi aprovada a Resolução AG/RES XLVII-O /17 (5580/2017). O documento intitulado “Promoção e proteção dos direitos humanos” tem por objetivo aprofundar o compromisso dos Estados-membros da OEA e também normatizar o trabalho dos defensores públicos na proteção e promoção dos direitos humanos.
 
De forma bastante ampla, o documento defende o direito à liberdade de pensamento e expressão; segurança dos jornalistas e trabalhadores da mídia; direito dos refugiados e apatriados nas Américas; direito das pessoas privadas de liberdade; identidade de gênero; direito das crianças e outros.
 
Diferente dos outros anos, a redação da resolução não foi exclusiva à defesa pública, mas destacou um item sobre tema. O documento ressalta, por exemplo, a importância da assistência jurídica gratuita; o papel das Defensorias Públicas para as pessoas em situação de vulnerabilidade; e defende a independência e autonomia funcional das Defensorias Públicas.
 
O documento determina também que a Comissão de Assuntos Jurídicos e Políticos (CAJP), inclua em seu plano de trabalho, antes do 48º período ordinário de sessões da Assembleia Geral, a realização de audiência pública na Comissão de Assuntos Jurídicos e Políticos (CAJP) sobre boas práticas das Defensorias Públicas.
 
Clique aqui e confira o documento na íntegra (em espanhol);
Clique aqui e confira a seção sobre a Defensoria Pública (em português)
 
Orçamento em dobro para o SIDH: Durante o encontro, a OEA aprovou também nova proposta financeira para o financiamento do Sistema Interamericano de Direitos Humanos (SIDH) com o objetivo assegurar a sustentabilidade e previsibilidade dos fundos disponíveis para os dois órgãos do sistema (Comissão e Corte Interamericana de direitos humanos). A ideia é cobrir todas as despesas atuais por contribuições anuais dos Estados-Membros a melhorar seu planejamento e gerenciamento de capacidade.
 
O aporte será de 18,2 milhões por ano, cerca de 11,2 milhões de dólares para a Comissão, com sede em Washington, e 6,9 milhões para a Corte.
 
Atualmente, a Comissão e a Corte são excessivamente dependentes de doações e contribuições financeiras voluntárias.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
AGENDA
06 de julho
AGE
03 de agosto
AGE
31 de agosto
Reunião de Diretoria
01 de setembro
AGE
05 de outubro
AGE
08 de novembro, Goiás (CONADEP)
AGE
08 A 11 de novembro, em Goiânia (GO)
XV Congresso Nacional das Defensoras e Defensores Públicos
14 de dezembro
AGO de eleição
13 de dezembro
Reunião de Diretoria
 
 
 
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)