Instagram Facebook Twitter YouTube Flickr
A ANADEP também está na Campanha Outubro Rosa pelo combate ao câncer de mama
10/07/2019

BA: DPE se reúne com Secretaria para tratar de nova sede para Coletivo de Mulheres

Fonte: ASCOM/DPE-BA
Estado: BA
Para intermediar a realização de um convênio que oportunize nova sede ao Coletivo de Mulheres de Feira de Santana, a Defensoria Pública do Estado da Bahia (DPE-BA) se reuniu na tarde da segunda-feira, 8, com a Secretaria de Desenvolvimento Social da cidade, que atendeu a solicitação de reunião feita na semana passada.
 
Integrantes do Coletivo, que atua sem fins lucrativos na prevenção e proteção à violência contra as mulheres, também participaram do encontro. Na ocasião foi apresentada a documentação necessária para o encaminhamento do Termo de Compromisso que deve celebrar a parceria e solucionar o problema da ausência de sede do Coletivo, que há quase um ano está sem local de funcionamento.
 
O secretário de desenvolvimento social, Pablo Roberto, apresentou um histórico da demanda e informou que a demora vem por conta de pendências burocráticas alheias à sua pasta. No entanto, destacou que está empenhado na resolução da situação e que o Termo será elaborado e, após parecer da procuradoria municipal, deverá ser agendada a data de assinatura. Também de acordo com o secretário, o Coletivo deverá funcionar no Edifício Mandacaru, centro da cidade.  Está prevista uma visita da Defensoria nesta quarta, 10, ao novo local, junto com o Coletivo.
 
A reunião é fruto da intervenção do defensor público Maurício Moitinho e da defensora pública Paloma Rebouças que no início deste mês requereram informações à prefeitura sobre a resolução do novo local sede.
 
Além do defensor público Maurício Moitinho e do secretário Pablo Roberto, também participaram da reunião o diretor do Departamento de Promoção da Igualdade de Gênero, Igualdade Racial e Juventude, José Gilenaldo Santos; e do Coletivo de Mulheres, Rebeca de Melo Alves, Ana Maria dos Reis Oliveira, Marlene das Neves Cruz e Ana Rita da Costa Oliveira, além de Maria de Fátima Souza do Movimento, da Organização das Mulheres em Defesa da Cidadania.
 
Entenda o caso
 
O Coletivo estava funcionando até julho de 2018 em um prédio público municipal, cedido informalmente pela Prefeitura, na rua Santos Dumont, no centro da cidade. Foi surpreendido, à época, com a derrubada da parede da sala onde atuava. Desde então, o grupo ficou ser espaço para utilizar como sede, com móveis, utensílios, e até mesmo pastas e documentos das mulheres atendidas pela entidade expostos à poeira e se deteriorando.
 
Após o ocorrido, a DPE-BA procurou o então secretário de prevenção à violência, Pablo Roberto, tendo sido acordado em reunião, em agosto do ano passado, que deveria se buscar o instrumento jurídico que permitisse a cessão de uso do bem à instituição, e deixar tudo formalizado, já que existiria uma sala disponível, localizada no Edifício Mandacaru.
 
A Defensoria elaborou Acordo de Cooperação Técnica para viabilizar a autorização do uso de bem público, conforme a Lei 13.019/2014 (que estabelece o regime jurídico das parcerias entre a administração pública e as organizações da sociedade civil).
 
Foram solicitadas informações e reuniões com a Prefeitura para resolver a questão, mas até julho de 2019 não havia conseguido resposta, de acordo com o defensor público Maurício Moitinho. “Enquanto isso, a rede de atenção e proteção à violência contra a mulher resta fragilizada”, comentou o defensor.
Compartilhar no Facebook Tweet Enviar por e-mail Imprimir
XIV CONADEP
ANADEP INOVA
Escola Nacional das Defensoras e Defensores Públicos do Brasil
Novas 100 regras de Brasília
COMISSÕES
TEMÁTICAS
NOTAS
TÉCNICAS
Acompanhe o nosso trabalho legislativo
NOTAS
PÚBLICAS
ANADEP
EXPRESS
HISTÓRIAS DE
DEFENSOR (A)