ÁREA RESTRITA

Busca Avançada
Notícias

08/11/2018 - 13:01

SP: Após ação da Defensoria Pública, TJ concede a aluno com autismo o direito a acompanhamento de professor auxiliar

Fonte: ASCOM/DPE-SP
Estado: SP

Uma ação da Defensoria Pública de SP concedeu a uma criança de 7 anos com autismo infantil o direito a acompanhamento de um professor auxiliar capacitado para atendê-lo na escola onde estuda. O Tribunal de Justiça (TJ-SP) decidiu pela prevalência do direito à educação inclusiva, com um atendimento diferenciado e exclusivo para que o estudante adquira um melhor aproveitamento escolar.
A mãe da criança recebeu, em julho de 2017, um ofício com a informação de que a escola onde seu filho está matriculado, em Itapetininga, não tem competência para atribuir ou contratar um profissional de apoio escolar. Assim, ela procurou a Defensoria Pública, que entrou com ação de obrigação de fazer em face do Estado de SP para que fosse oferecido o acompanhamento de um profissional.
 
“A própria Constituição federal, o Estatuto da Criança e do Adolescente e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional apontam a imprescindibilidade de todo o apoio necessário de acordo com as necessidades individuais dos alunos com deficiência na rede regular de ensino, ou seja, do atendimento especializado”, sustentou o Defensor Público Akira Koza Palmieri, responsável pela ação. “Vale destacar que o cuidador (profissional extraclasse) não se confunde com o professor auxiliar (intraclasse), porque aquele não necessariamente vem de carreiras relacionadas à educação, pois são na sua maioria profissionais de outras áreas do saber”, ressaltou.
 
Em outubro do ano passado, o Juiz Alessandro Viana Vieira de Paula concedeu liminar favorável ao pedido da Defensoria, determinando que a escola providenciasse o profissional a partir do início do ano letivo de 2018. “Convém enfatizar que além do cuidador o requerente necessita do professor auxiliar, sendo que as legislações existentes amparam a sua pretensão”, considerou o Juiz.
 
Após apelação do Estado, o TJ-SP negou o recurso e confirmou a decisão inicial. “Salienta-se que esta Câmara Especial consolidou o entendimento no sentido de que, com vistas à consecução do direito à educação, uma vez demonstrado o quadro clínico, somado à pertinência do pleito, deve o ente público disponibilizar o profissional pleiteado, devendo prevalecer o direito à educação ao erário”, pontuou a Relatora Desembargadora Dora Martins. “Assim, observadas as particularidades que envolvem a demanda, de rigor o fornecimento de professor auxiliar de forma não exclusiva, figura que não pode ser confundida com a de mero cuidador, profissional destinado ao auxílio de atividades cotidianas fora da sala de aula”, concluiu.

29 de novembro, às 13h, em Belo Horizonte

Assembleia Geral Extraordinária (AGE)

12 de dezembro, às 10h, na sede da ANADEP

Assembleia Geral Ordinária (Eleição ANADEP)

29 e 30 de novembro, Belo Horizonte - MG

Encontro das Defensoras e Defensores Públicos da Região Sudeste

Facebook Twitter Instagram YouTube Flickr

 

ANADEP - Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos
Setor Bancário Sul, Quadra 02, Lote 10, Bloco J, Ed. Carlton Tower, Sobrelojas 1 e 2 - Asa Sul
CEP: 70.070-120 - Brasília - DF - Brasil
Tel: +55 61 3963-1747 - Fax: +55 61 3039-1763